Participação de Michel Thiollent é destaque no Salão Universitário da UCPel

Com a palestra O Futuro da Ciência e os Desafios da Produção do Conhecimento, o pesquisador Michel Thiollent abriu mais uma edição do Salão Universitário. Até sexta-feira (25), mais de 350 trabalhos nas áreas da iniciação científica, pesquisa, ensino e extensão estão sendo apresentados no evento que chega a sua vigésima oitava edição.

Em fala, Thiollent destacou a importância de atividades que incentivem a pesquisa por serem espaços em que ocorre a difusão dos resultados da ciência. Especialmente, destacou o pesquisador, devido o conhecimento produzido no Brasil ficar muitas vezes limitado ao público especializado.

Presente no Salão desde 2017, a doutoranda Emília Piñeiro entende a possibilidade da troca de informações como um dos pontos mais positivos do encontro. “Também é uma oportunidade de explicar a minha pesquisa para outras pessoas e interagir com professores de outros programas de pós-graduação”, avalia.

O evento ainda é espaço para a estreia de muitos estudantes iniciantes no mundo da pesquisa. Ícaro Siqueira, graduando da Engenharia de Computação, teve o primeiro contato com uma banca de avaliação durante o evento. “Como eu sabia bastante sobre o meu tema foi tranqüilo”, comentou.

Também estreante, Gabriella Rappi, estudante do curso de Direito, ficou nervosa durante a apresentação, mas avaliou como positiva a sua participação. “Eu recomendo ter essa experiência porque ajuda a treinar para a apresentação do trabalho de conclusão de curso”, indicou.   

Na avaliação da pró-reitora acadêmica da UCPel, professora Patrícia Giusti, a oportunidade de participar do Salão Universitário é extremamente rica e contribui para qualificar a formação. “Aqueles que se aproximam de cenários onde a pesquisa é desenvolvida concluem a sua formação com um currículo diferenciado”, argumentou.       

Além da mostra de trabalhos de alunos da graduação e pós-graduação, o evento ainda reuniu estudantes dos últimos anos do ensino fundamental e do médio. Os adolescentes tiveram a experiência de expor seus experimentos no âmbito Universitário e para uma banca formada por pesquisadores.

Profissionais sem vínculo com instituições de ensino também tiveram espaço para compartilhar pesquisas não ligadas a programas de pós-graduação. “Com isso esperamos incentivá-los a trazer seus estudos para o meio universitário”, explicou Patrícia.

A premiação dos melhores trabalhos ocorrerá nesta sexta-feira, às 18h, no saguão do Campus I. A cerimônia ocorrerá junto ao encerramento do evento.   

 

Redação: Rita Wicth – MTB 14101